X

José De Quadros

José De Quadros, nascido em 1958 em Barretos, iniciou seu percurso como autodidata ainda no Brasil. Um longo caminho o levou à Alemanha, onde ingressou na Faculdade de Artes Plásticas de Kassel, formando-se em 1998 com especialização em Pintura com o Prof. Kurt Haug. Ambas as cidades onde vive, tanto São Paulo quanto Kassel, sediam duas das mais importantes exposições de artes plásticas – a Bienal de São Paulo e a documenta de Kassel. Frequentador assíduo destes contextos, José De Quadros sempre saciou nestas fontes sua sede, através de seu olhar curioso e aguda sensibilidade, do universo da arte contemporânea nacional e internacional. Ainda nestes contextos, foi assistente de Anselm Kiefer, Cildo Meireles e Tunga, entre outros.


Desenhar detalhes da flora, da fauna e insetos sempre foi algo que eu quiz fazer. A princípio, desenhos banais, sem grandes pretensões… somente pelo prazer de desenhar.

Há seis anos, meu caro vizinho Jens W. foi tragicamente assassinado em Luzón, nas Filipinas. Entre outras coisas, dele herdei uma pilha de jornais do período nazista da Alemanha (1933/45), acuradamente arquivados e catalogados. Jens W. era uma sumidade em história, profundo conhecedor e um grande crítico dessa época terrível da história alemã.

Por muito tempo, esses jornais e os desenhos dominaram meus pensamentos. Faziam-se presentes para, logo em seguida, um fazer parte do outro. De certa forma, fui também influenciado pelo livro de Hannah Arendt: “Eichmann in Jerusalem. Bericht über die Banalität des Böses[1], de 1963.  Para quem não conhece o conteúdo de tal livro, trata-se da minimização de um passado medonho e monstruoso, da negação da responsabilidade individual dentro de um crime organizado, comandado por um “sistema” do qual Eichmann tomou parte e que, durante todo o seu processo, dizia-se inocente, já que somente cumprira com seu dever. A verdadeira banalização do mal.

Em meados de 2005, decidi iniciar esse trabalho que agora apresento. Uma decisão que não foi tomada leviana e precipitadamente, já que refleti muito a seu respeito pois, uma vez trabalhando com os jornais, eu estaria mudando a trajetória desses documentos históricos. Antes registros de fatos, agora eles passam para uma outra dimensão, incorporados como objetos de arte e talvez, no atual contexto, aqueles acontecimentos possam ser observados de forma profunda e crítica, já que estamos plenamente cientes do desfecho daquelas circunstâncias.

Ao voltar do Brasil, em 2006, quando passei meio ano trabalhando no ateliê de São Paulo, estava pronto para reiniciar os desenhos. Surpreendentemente, fiquei sem meu espaço de trabalho em Kassel. No dia 22 maio, meu ateliê foi roubado e destruído por atos de vandalismo, consumido pelas chamas de um incêndio criminoso. Entre as muitas coisas que os bombeiros conseguiram salvar, estavam os ditos jornais! Eles escaparam do fogo por um triz, embora alguns exemplares que já estavam desenhados, tenham queimado. Fiquei imaginando a quantas bombas e incêndios esses jornais já sobreviveram e, agora, mais uma vez… um sinal de que eu deveria dar continuidade ao trabalho imediatamente! Tudo parece anormal, mas são tais banalidades que mudam todo o percurso de nossas vidas.

Com os desenhos – feitos sobre os jornais porta-voz do partido nazista – não quero banalizar, muito menos relativizar a história, mas sim enfatizar o perigo que, de uma forma ou outra, está sempre nos rondando. Temos que estar atentos.

José De Quadros

Kassel , julho de 2006.

[1] Eichmann em Jerusalém. Relatos sobre a banalidade do mal.


 

[1] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Grasfrosche (sapo da relva) e o Führer na capital | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 52 cm

[2] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Fischotter (Lontra) | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 52 cm

 

[3] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Salamander (salamandra)| Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 52 cm

[4] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Raupe (Lagarto/mandruvá) | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 54 x 39 cm

 

[5] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados |Ochsenfrosche (sapo boi) | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 45 x 60 cm

[6] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Weinbergschnecke (caramujo dos vinhedos/Escargot) | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 52 cm

 

[7] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Kreuzottern (Víbora/Vipera berus) | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 52 cm

[8] Tempo para desenhar sobre jornais ou Desenhos Inanimados | Raposa espreitando um faisão | Técnica mista sobre jornal original | 2006/2012 | 61 x 98 cm