X

Lucy Citti Ferreira

Lucy Citti Ferreira nasceu em São Paulo, filha de Diógenes Cintra Ferreira (1878- 1945) e Júlia Citti Ferreira (1878-1970). Quando tinha apenas seis meses, sua família se muda para a Itália. Com dez anos a família se fixa na cidade de Havre, na França. Nesse momento, ela inicia seus estudos artísticos sob orientação de André Chapuy, diretor da École des Beaux-Arts do Havre, a qual frequenta entre 1930 e 1932. Nos dois anos seguintes, aprofunda sua formação na École Nationale des Beaux Arts de Paris, estudando pintura com Fernand Sabatté (1874-1940) e escultura com Armand Matial (1884-1960), ambos artistas que receberam o Prix de Rome antes de se tornarem mestres dessa tradicional e reputada instituição. Nesse período, Lucy participou de algumas exposições, no Grand Palais e no Salon des Tuilleries.

Em 1935, Lucy Citti retorna a seu país de nascimento, já como artista formada, e instala seu ateliê em São Paulo. No mesmo ano recebe a visita de Mário de Andrade, que, na ocasião, reconheceu semelhanças entre a pintura da artista e os temas e palheta de Lasar Segall, apresentando um ao outro. A partir de então se estabeleceu entre ambos uma sólida e longeva parceria. Com efeito, Lucy Citti trabalhou com Segall entre 1935 e 1947, posando diversas vezes como sua modelo.

Uma necessária reavaliação de sua produção vem sendo realizada. Nota-se o empenho promovido pela Pinacoteca Artística do Estado de São Paulo e seu corpo curatorial. A exposição dedicada à artista pelo museu em 2013 foi uma resposta à doação que a artista fez para a instituição antes de falecer, um conjunto de 3219 obras suas, óleos e pastéis em sua maioria já catalogadas. Trata-se de um volume considerável que revela uma artista produtiva e longeva.

Ana Paula Cavalcanti Simioni
Exposição Mulheres Artistas: nos salões e em toda parte
[Arte132 Galeria | de 04 de junho a 30 de julho de 2022]

Natureza morta | Óleo sobre tela | 55 x 46 cm | [s.d]