X

VÁRIOS 22

19 de março - 21 de maio de 2022

Acesso ao catálogo para download


Apresentação

Esta exposição apresenta núcleo e círculos, que a ampliam. Seu núcleo é
Lili Schwarcz, cujo pensamento e carreira são fundamentais para a História
do Brasil e da Arte. O primeiro círculo é formado pelas relevantes galerias e respectivas equipes, que se dispuseram a participar. Demonstra como estas galerias se dispuseram a adotar uma nova forma de integração de atividades. A realização conta com um segundo círculo abrangente formado por Leca Kanawati e Suzana Mendes. E todos estes círculos trabalharam para oferecer ao espaço dos visitantes, o melhor possível.

Escrever sobre este catálogo e conteúdo da exposição seria pretensão minha. No entanto, permito-me observar que a exposição oferece uma pluralidade de camadas de conhecimento e convida à revisitação crítica da presença passada e presente da Cultura Negra e da Indígena nos modernismos brasileiros.

Telmo Porto


Vários e tantos 22

“Diálogo” é a palavra que mais define esta exposição. Uma conversa com uma certa forma de colecionismo privado – onde frequentemente estão incluídos artistas acadêmicos (na escultura e na pintura), mas também modernos, em geral de formação e origem europeias. Obras que assim conversam com o cânone brasileiro e de alguma maneira o legitimam e sedimentam. Um cânone que costuma deixar de fora as demais manifestações artísticas que não sejam aquelas autorreferenciadas pela própria cultura ocidental. São coleções, pois, que primam por representar o “outro”, mas não exatamente incluí-lo. Ou seja, com grande frequência trazem artistas homens, brancos e de origem ocidental que pintam e esculpem o que chamam de “diferente”, sem atentar como “eles” são também “outros” na representação; que, ao pintar o exótico, ensejam muito mais suas próprias fantasias e medos do que a realidade que pretendem retratar – sem notar, tampouco, que assim impõem suas próprias métricas, a despeito de essas serem invisíveis e incontestes nas classificações que organizam. São a norma que não se nomeia.

O objetivo de Vários 22 foi, então, retirar tais obras da transparência confortável em que se encontram e contrastá-las com trabalhos de artistas contemporâneos que tencionam e iluminam contradições e ambiguidades que permanecem imanentes nessas obras acadêmicas e, assim, naturalizadas. Iluminam também imaginários europeus sobre si e acerca dos “outros”. Entretanto, é possível tomar essa experiência comparativa por outro ângulo: verificar como, no desenvolvimento desses processos, os mesmos trabalhos acabam valorizados, sublinhando-se releituras, rupturas, mas também continuidades. O diálogo se dá por meio da forma que reitera, mas também através dos assuntos revisitados a partir de temas clássicos e herdeiros do academicismo oitocentista, como a paisagem, o retrato exótico e as simbologias pátrias.

Neste ano de 2022, em que se celebram os 100 anos da Semana de Arte Moderna em São Paulo, e não de São Paulo, pois são muitos os modernismos, e em que se comemoram 200 anos de Independência do Brasil, nunca foi tão urgente enfrentar as imagens e representações consolidadas no nosso imaginário, para assim anotar esses “outros dos outros”: muitos modernismos e várias formas de emancipação política. São Vários e tantos 22.

Lilia Moritz Schwarcz


Aos Artistas, Galerias e Coleções que colaboraram para que essa exposição fosse realizada, nosso reconhecimento e agradecimento:

  • Artistas independentes e coleções particulares: Daniel Lannes, Jaider Esbell, Denilson Baniwa, Pedro Corrêa do Lago e José Paulo da Rocha Brito
  • Galeria Casa Triângulo: O Bastardo
  • Galeria Estação: José Bezerra, Elza de Oliveira Sousa, Clovis Aparecido dos Santos, José Antonio da Silva, Santídio Pereira, Moisés Patrício e Maria Auxiliadora Silva
  • Galeria HOA: Igi Lola Ayedun, Lais Amaral, Pegge, Larissa de Souza e Marlon Amaro
  • Galeria Janaína Torres: Andrey Guianá Zignnatto
  • Galeria Leme: Jaime Lauriano, Flávio Cerqueira, Luiz Braga, Tiago Sant’Ana e Ana Elisa Egreja
  • Galeria Millan: David Almeida, Emmanuel Nassar e Mario Cravo Neto
  • Galeria Nara Roesler: Raul Mourão
  • Galeria Portas Vilaseca: Ayrson Heráclito
  • Galeria Sé: Dalton Paula
  • Galeria Superfície: Gê Viana

Acervo Galeria Arte132: Edival Ramosa, Johann Moritz Rugendas, Glauco Rodrigues, Fulvio Pennacchi, Aurélio de Figueiredo, Elio Di Giusto, Paulo Mazzuchelli, Ricardo Cipicchia, João Batista Ferri, Luís Morrone, Ottone Zorlini, Jean Manzon, Benedito José Tobias, Oscar Pereira da Silva, Antonio Manuel e Ivan Serpa, Alex Fleming, Emiliano Di Cavalcanti, Rubem Valentim, Joaquim Tenreiro, Yolanda Mohalyi, Ione Saldanha, José Pancetti, Iberê Camargo e Luiz Zerbini


Vistas da Exposição | 19 de março a 21 de maio de 2022


Fotos: 2022©SuzanaMendes